Artes, negócios, diversão e comportamento.

Tá precisando de um pé na bunda?

O corpo fala e os pés são base da linguagem do corpo. Por Mauro Henrique Toledo

Em nossos processos de aprendizagem para capacitar falar ao público, além de educar emoção e linguagem, compreendemos educação e consciência corporal como essenciais, o que significa aprender, sentir e desenvolver a estrutura física para ter saúde da cabeça aos pés.

E pensando no valor do “pé” para a saúde, o refrão da música “Quem não gosta de samba, bom sujeito não é, é ruim da cabeça ou doente do pé” me fez pensar sobre as várias expressões populares que trazem a palavra “pé” como destaque. Vejamos:

Temos a famosa expressão “pé na bunda” que trata de rejeição, de dar ou receber “um fora”. Esse gesto pode servir como um empurrão pra mudar a vida da pessoa, já que um “pé na bunda” põe pra frente, tira da rotina e da zona de conforto.

Temos a expressão “pé nas costas”, quando se diz que a pessoa tem competências e habilidades desenvolvidas para facilitar e resolver situações e problemas.

Temos a curiosa expressão “pé atrás”, quando se diz daquela pessoa que está desconfiada, que fica analisando a coisa e não se decide.

Temos a expressão “pé rapado”, quando se fala de da pessoa que não tem posses, que não tem bens. 

Temos a sutil expressão “pé ante pé”, quando se diz do andar com leveza, e que pode ser também aplicada à caminhar como foi planejado, realizar uma coisa e depois outra, steep by steep, passo a passo.

E temos outras expressões como “entrar com o pé na porta” (daquela pessoa que é determinada ou agressiva), “levantar com o pé direito” (sorte), “pé de valsa” (daquele que é bom em dançar); “pé de vento” (daquele que é rápido); “ao pé da letra” (de quando se quer tudo nos mínimos detalhes); e a famosa expressão que já virou música “tudo, tudo, tudo vai dar pé” (quando se é importante acreditar, confiar, ser otimista, ter esperanças).

Pós carnaval, pra quem tem samba no pé ou não, fica aqui minha leve reflexão sobre a importância dos ditos pés. E fica a dica de cuidar de nossa postura a partir dos pés, pois, além de contribuir para nossa saúde física e mental, é a partir dos pés que o nosso corpo se estrutura, falando aos outros sobre nossas emoções e estados de ânimo.  

E antes que vocês fiquem entediados com tema, lembro-lhes ainda da importante expressão “pé no saco” aplicada à situações ou pessoas que nos entediam ou que nos chateiam, o que espero não ser este o meu caso. 

E se tiver mais expressões curiosas sobre o pé, comente no pé da página. 

Nova turma Teatro Coach Para Falar ao Público – dias 28 fev e 1º. de março

Inscreva-se! Somente 12 vagas. 

Compartilhar

Deixe o seu comentário