Artes, negócios, diversão e comportamento.

Sua voz com saúde e fazendo sucesso

O corpo fala mas quem emite a voz são as cordas vocais. Aprenda a protege-las. Por Alzira Andrade

O que temos em comum com um instrumento de cordas? No que diz respeito a emissão do som, tudo. Para se emitir um som é preciso uma força que faça vibrar, o que vibra e a caixa de ressonância. 

No violão, por exemplo, a força dos dedos  faz as cordas vibrarem e o corpo de madeira faz ressoar. Para a emissão da voz a respiração faz as pregas vocais vibrarem e o corpo humano faz ressoar como a caixa do violão. Portanto, conhecer e cuidar com carinho do corpo dando especial atenção ao sistema respiratório é essencial para ser um bom orador, um bom cantor, um bom ator.

Sabemos que fumar, fazer uso de drogas, ingerir bebidas alcoólicas em demasia, dormir pouco, viver com tensão excessiva nos ombros e garganta, abusar da temperatura dos alimentos quentes ou gelados demais, prejudicam as pregas vocais podendo levar à rouquidão ou até mesmo causar doenças mais graves.

As pregas vocais são dois músculos encobertos por mucosas responsáveis pelas nuances da voz. Por serem músculos, assim como todos os outros músculos do corpo, vão atrofiando conforme a idade avança, portanto devem ser exercitados e cuidados com carinho. É a tonicidade desses músculos e a qualidade das mucosas que dão mais ou menos recursos à voz. Quanto mais ressecadas e rígidas elas estiverem maior será a dificuldade para a passagem do ar, o que prejudica a emissão do som.

Como fazer então para proteger nossas pregas vocais? 

Voz é ação e movimento

Hidratar – Não será tomando de um a dois litros de água diariamente. Tomar água é essencial para o bom funcionamento do corpo todo, porém a água ingerida pela boca desce pela faringe e segue caminho do sistema digestivo, portanto não passa pelas cordas vocais. Para hidratar as pregas vocais deve-se fazer inalações, assim o vapor é aspirado pelo nariz, passando pela laringe, onde as pregas vocais se encontram em posição horizontal.  Fazer inalação hidrata porque o vapor é absorvido pelo sistema respiratório.

Sendo assim é mito dizer que maçã, cebola crua, conhaque e afins fazem bem para  a garganta. Os sucos de laranja ou limão adoçados com mel podem ser ingeridos por auxiliarem na resistência do corpo.

Não ao pigarro – Pigarrear ou tossir em excesso pode ferir as mucosas podendo com a repetição produzir calos vocais.

Não aos refrigerantes e água com gás antes de expor-se porque podem causar refluxo.

Não às pastilhas, balas mentoladas que podem anestesiar a região da laringe e as pregas vocais serão exigidas em demasia, prejudicando as mucosas sem que a pessoa perceba.

A ciência hoje afirma e pode provar que não existe voz de cabeça, voz de peito, etc. Mas especialistas e professores de voz continuam utilizando esse comando como metáfora, como intenção para estimular seus alunos.  As notas musicais, timbres, volumes, efeitos, tudo acontece subindo e descendo a laringe e alterando os espaços internos dentro da boca através da movimentação e formatos da língua.

No corpo humano o agente da emissão do som é a respiração que acontece  nos pulmões com o ar entrando e saindo percorrendo todo o sistema respiratório. O ar enche os pulmões empurra o diafragma movimentando toda a coluna vertebral, as costelas, as clavículas, massageando os orgãos internos, inclusive o coração.

Clique aqui e veja como o corpo reage ao movimento do diafrágma. 

 

Fotos

Compartilhar

Deixe o seu comentário