Artes, negócios, diversão e comportamento.

Perguntar o nome evita mal-estar

Identificar elogiando e causando uma ótima impressão e um bem-estar na relação. Reflexão por Alzira Andrade.

Outro dia estava me aproximando do balcão de recepção do instituto de estética que tenho o hábito de frequentar, quando presenciei a seguinte situação: Uma cliente que aguardava para receber um tratamento foi indagada pela proprietária do estabelecimento se ela tinha alguma preferencia sobre quem a atenderia. A cliente apontou para uma esteticista fisioterapeuta dizendo: – Quero aquela ali.

O rosto da jovem atendente enrubesceu numa mistura de desaprovação com humilhação. Foi escolhida como escrava, ou mesmo como puta?! Será que é tão difícil colocar-se no lugar da outra e chamá-la pelo nome? Não saber o nome é uma possibilidade, mas que tal aproximar-se da escolhida e dizer: – Eu já fui muito bem atendida por você, como é mesmo o seu nome?

Simples forma de escolher quem se quer, elogiando sem causar mal-estar. Afinal, em se tratando de massagem ou tratamento estético, a troca de energia entre cliente e atendente é íntima e é bem melhor que haja uma atitude positiva e empática de uma para com a outra.

Compartilhar

Deixe o seu comentário