Artes, negócios, diversão e comportamento.

Vendas e comunicação.

Um vendedor deve aprimorar sua narrativa, saber contar histórias, falar em público, precisa ter consciência de que a palavra tem poder, assim como tem poder sua ótima reputação, seus serviços e produtos. [By Mauro Henrique Toledo]

Ontem, depois de ano e meio de pesquisa na web fui fazer um curso de vendas. Ano e meio sacando caras, vendo trechos de palestras, analisando coerência de artigos, me divertindo com slogans marketeiros, estudando conteúdos programáticos (vixi!). Conheci várias propostas de gurus, técnicas e escolas, algumas tabajaras, outras harwardianas, mas ao longo da pesquisa, fui desqualificando e por fim, escolhi o curso de um cara que poderia ser show.

Na web vi que o cara é apaixonado pelo que faz, expert em redes sociais, tecnologia, Steve Jobs. Escreveu um livro, que li, óbvio. Faz palestras bacanas sobre filmes e séries, ponte de reflexão para empreendedorismo. É ativo na criação de eventos que reunem pessoas para pensar e agir no mundo dos negócios. Tem programa semanal na internet, com dicas de melhoria de sites e sugestões de inovação em competências técnicas e comportamentais. Seu blog é dinâmico, atualizado com posts qualificados, links úteis e atualizados.

O cara ajuda a pensar marketing, escolher e decidir. E uma reflexão dele no facebook me levou ao curso, para ver o “quem sabe faz ao vivo”: um vendedor precisa desenvolver a competência de falar em público, de se expressar, de se comunicar para gerar resultados. Deve aprimorar sua narrativa, contar histórias, precisa ter consciência que a palavra tem poder, assim como tem poder sua ótima reputação e de seus serviços e produtos.

Sim, comunicação é fundamental. Linguagem é ação. Mas não apenas vendedores precisam se expressar melhor. Também empreendedores, líderes, gerentes, gestores, estudantes, professores, todos. E é cada vez maior o número de pessoas que precisa se comunicar mais e melhor, num momento em que vida pessoal e profissional misturou geral.

Fui ao curso: Jordão Magalhães, da Biz Revolution. O cara provocou o tempo todo, instigou investir no novo, quebrar velhos paradigmas de vendas, questionou dogmas e metologias frágeis, desafiou atitudes acomodadas, demoliu crenças limitantes, implodiu comportamentos viciados, detonou clichês e jargões corporativos. Paixão, humanização e qualidade de informação na medida certa: Muito bom. Quebra tudo!

E para nossa alegria, confirmei que nossa empresa está na direção correta, com serviços e produtos necessários, que somos apaixonados pelo que fazemos e que valorizamos nossa experiência e história de sucessos e aprendizados, crescendo e compartilhando, melhor a cada dia.

E para vender o que fazemos (afinal este artigo trata do tema – rs) vamos focar: se o problema é inibição, insegurança ao se expor, timidez, dificuldade de relacionar-se, falta de criatividade, medo de falar em público, má qualidade de comunicação pessoal, interpessoal e relacional: Teatrês é a solução.

O TEATRO DAS VENDAS – Vender, segundo o Aurélio é “alienar ou ceder por certo preço, trocar por dinheiro; negociar ou comerciar com”. Há mais definições no dicionário, fiquemos nessa: comerciar, comercializar, trocar por dinheiro. Independentemente das ações de marketing  na web, o ator do comércio é o vendedor, na ação de vender, de frente com o cliente, ou com clientes. E o bom cenário da venda requer qualidade de comunicação para apresentar, explicar, argumentar, convencer, influenciar, criar empatia, dialogar, estabelecer confiança, ouvir necessidades, escolher, orientar e claro, fechar a venda. Ah, e entregar!

E mais uma super dica do Jordão: É impossível não amar uma pessoa quando ela conta alguma história da sua própria vida. Então… PARE de falar sobre a vida dos outros, PARE de falar sobre teorias, e COMPARTILHE AS SUAS PRÓPRIAS HISTÓRIAS. Essa é a MELHOR MANEIRA de se diferenciar.

Linguagem é ação. Construa-se a si mesmo, enquanto constrói seu mundo pelas relações!

 

 

Compartilhar

Deixe o seu comentário